Arquivo da categoria: opinião

Sem citar política, Papa faz discurso revolucionário

Papa Francisco - rosto

Uma das grandes habilidades dos grandes comunicadores é a capacidade de quebrar expectativas, apresentando a seu público algo sempre novo, que impacta pela força da surpresa. Em sua chegada ao Brasil, no discurso em presença da presidente Dilma e de outras personalidades políticas brasileiras, o Papa Francisco mostrou que tem esta capacidade de surpreender, de passar uma mensagem nova indo contra as expectativas.

Todos esperavam que este primeiro discurso, feito diante das autoridades políticas, viesse recheado com uma boa carga política, direta ou indireta. Mas Francisco não falou de política. Seu interlocutor não eram os políticos presentes, mas sim o coração do povo brasileiro – ou melhor, o coração de cada brasileiro. Ao fazer isso, não desconsiderou a política, mas elevou-a a um nível quase inimaginável. Falou da maior força que move a história: o coração da pessoa, aquele lugar onde cada um de nós guarda as coisas mais valiosas que tem na vida.

Pedindo para “bater delicadamente” à porta que é o coração de cada brasileiro, mostrou a humildade e o carinho que lhe são próprios. Dizendo “não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado”, não apenas mostrou a pobreza cristã, mas se colocou na posição corajosa daquele que doa tudo que tem pelo outro. Humildade, carinho, pobreza, coragem, doação de si… Que homem público não se sentirá interpelado por estes atributos? Que cidadão não encontrará aí um caminho para a construção do bem comum?

Partindo do coração da pessoa, o Papa Francisco fez um desafio mudo a todos que querem o poder pelo poder e organizam suas vidas em função disto. E cada um que o ouviu percebeu esta incrível verdade: que o coração é maior do que o poder, pois nos torna realmente humanos, enquanto o poder frequentemente desfigura nossa humanidade.

Francisco começou sua viagem sem falar de política. Mas, não falando de política, fez o discurso político mais revolucionário que poderia ter feito.

Marcelo Ortega, via Facebook

Meu ponto de vista sobre “Porque se chama MOVIMENTO MINI TLC”

Quando Cristo pregava às pessoas, Ele não se contentava em fixar morada em determinada cidade ou região, era conhecido como “O Nazareno”, mas ele estava sempre peregrinando, nunca parava. Estava sempre em constante MOVIMENTO, até mesmo quando foi pregado numa Cruz, Ele não parou de ensinar, e à beira da morte nos deixou o mais belo sinal de amor, entregando Maria por nossa Mãe.

E é isso que Ele nos pede todos os dias, que permaneçamos em movimento, anunciando ao mundo o Salvador!

Thais Pancioni – Avaré – Paróquia N.S. de Fátima

Ser padrinho de um (mini-)telecista

Se um dia você tiver a oportunidade de preencher uma ficha de cursista fique muito feliz pois ser madrinha/padrinho de alguém é maravilhoso… mas cuidado! a partir do momento que você assinar seu nome naquela ficha, aquela vida também é responsabilidade sua!
Ame,cuide de seu afilhado(a), reze por ele(a)! Elogie o que ele(a) fizer de bom e chame a atenção dele(a) se ele(a) fizer algo q não condiz com o comportamento que um verdadeiro cristão deve ter desde que você seja exemplo. Seja espelho para ele(a) para que um dia ele(a) possa ser espelho pra alguém.
E se por um acaso acontecer de em um dia que ele(a) está de saco cheio de você,ele(a) te disser pra “cuidar da sua vida pois você não é mãe/pai dele(a) e que ele(a) faz o que quiser da vida”… respire fundo! Continue amando e cuidando dele(a) mesmo que de longe,continue rezando por ele(a) mesmo que ele não saiba disso. Continue elogiando o que ele(a) fizer de bom mesmo que seja pra outras pessoas e se ele(a) fizer algo errado tente mostrar que não foi a melhor escolha dele(a) mesmo que seja por intermédio de outra pessoa.
Não queira ser madrinha ou padrinho só de título! Assim como não existe ex-pai, ex-mãe ou ex-irmão não existe ex-madrinha ou ex-padrinho por mais que talvez o seu/sua afilhado (a) queira que isso aconteça.
A vida dele(a) foi confiada a você e um dia você terá de prestar conta a Deus por ela!

SEMPRE MAIS ALTO!
Aline Neves – TLC Iaras

Um verdadeiro líder cristão

A igreja católica anda formando excelentes líderes cristãos, líderes espiritualzados, que sabem amar os irmãos, ajudar os pobres de dinheiro e de espírito, perdoar os erros e mágoas… mas tudo isso, no meio da igreja é muito fácil, pois estamos na presença viva de Deus, mas e quando saímos às ruas, quando “ninguém está nos olhando”, oq fazemos? Destratamos as pessoas, esquecemos a humildade, cuspimos no prato que comemos? NÃO!
Um verdadeiro líder cristão sabe levar a presença de Deus vivo para fora da comunidade e dos movimentos, ele leva Cristo para onde vai, para quem o encontra, e porque não levar Cristo para a vida pública da nossa cidade? Acredito que se os políticos brasileiros carregassem Jesus para todos os lados, o nosso país estaria muito diferente ne? Gostaria que refletíssemos mais antes de votar nas próximas eleições, afinal, quem os coloca lá somos nós! E para deixar bem claro, isso não é uma campanha política, pois creio que pessoas com valores cristãos autênticos não precisam utilizar a imagem de Deus para conseguir nada, pois Deus já os ungiu e os escolheu! Pensem bem.

Thaís Pancioni

Ser um líder cristão

Ser um líder cristão é hoje, talvez, a tarefa mais árdua e gratificante. Estar a serviço do Reino de Deus não é nada fácil, mas quem é que consegue dizer não ao chamado do Pai?
A liderança cristã muitas vezes causa algumas discordâncias, mas um verdadeiro líder faz aquilo que julga ser melhor para sua comunidade, assim como um pai, que não faz o que o filho quer, mas o que é melhor para ele.
É necessário ver o mundo como ele realmente é, para compreender as necessidades de cada um . Julgar tudo o que ele oferece, para poder discernir aquilo que realmente provém de Deus e agir, para tentar aproximar cada vez mais pessoas de Cristo.
O verdadeiro líder sabe reconhecer e utilizar as qualidades das pessoas, ajudando e amando cada um a sua maneira. Diferentemente de um chefe, o líder não manda ninguém trabalhar, ele convida para trabalhar junto, pois ama o que faz e já não consegue se afastar da missão que lhe foi dada.
Apesar de ser uma tarefa difícil, é incrível como, com o passar do tempo você vai se apaixonando pela jornada e aprendendo a ver Cristo em cada pessoa. Você se torna pai, mãe, irmão, anjo da guarda, professor e principalmente aluno, pois Deus nos ensina a cada dia uma nova lição. A magia de ser um líder cristão está nisso: enfrentar as dificuldades de braços abertos, a exemplo de Jesus, que lutou e morreu por nós sem cruzar os braços uma única vez. Afinal, ninguém disse que seria fácil, mas que valeria a pena.
Parabéns líder cristão por ter seguido o exemplo de Maria e dito seu “sim” a Deus!
Thaís Pancioni da Silva
Coord. Comunidade de Jovens “Deus Imenso”

Ser um líder cristão é hoje, talvez, a tarefa mais árdua e gratificante. Estar a serviço do Reino de Deus não é nada fácil, mas quem é que consegue dizer não ao chamado do Pai?A liderança crista muitas vezes causa algumas discordâncias, mas um verdadeiro líder faz aquilo que julga ser melhor para sua comunidade, assim como um pai, que não faz o que o filho quer, mas o que é melhor para ele.É necessário ver o mundo como ele realmente é, para compreender as necessidades de cada um . Julgar tudo o que ele oferece, para poder discernir aquilo que realmente provém de Deus e agir, para tentar aproximar cada vez mais pessoas de Cristo.O verdadeiro líder sabe reconhecer e utilizar as qualidades das pessoas, ajudando e amando cada um a sua maneira. Diferentemente de um chefe, o líder não manda ninguém trabalhar, ele convida para trabalhar junto, pois ama o que faz e já não consegue se afastar da missão que lhe foi dada.Apesar de ser uma tarefa difícil, é incrível como, com o passar do tempo você vai se apaixonando pela jornada e aprendendo a ver Cristo em cada pessoa. Você se torna pai, mãe, irmão, anjo da guarda, professor e principalmente aluno, pois Deus nos ensina a cada dia uma nova lição. A magia de ser um líder cristão está nisso: enfrentar as dificuldades de braços abertos, a exemplo de Jesus, que lutou e morreu por nós sem cruzar os braços uma única vez. Afinal, ninguém disse que seria fácil, mas que valeria a pena.Parabéns líder cristão por ter seguido o exemplo de Maria e dito seu “sim” a Deus!
Thaís Pancioni da Silva

Coord. Comunidade de Jovens “Deus Imenso”